“A pressa e a negligência dos afetos na saúde mental”

man love people flowers

Para se obter toda a saúde mental é preciso viver com afectos e amor, bem sabemos que numa vida brutal de trabalho e de “pressas” é difícil ter tempo para partilhar o nosso tempo e coração de forma a se misturar com os outros afectos e corações das pessoas próximas de nós. Então para uma vida saudável há que enaltecer esses sentimentos verdadeiramente, pois são necessários para uma vida melhor, já que uma vida sem afectos e amor é uma vida sem criação de mais vida nem é um prolongamento do tempo saudável pois é necessário aconchegar o coração.

No Amor quanto tempo temos para a liberdade absoluta dos nossos corações? Para a verdadeira partilha do amor com a nossa metade? Na verdade o tempo é curto manifestamente, pois vivemos numa sociedade de consumo, desorientada e virada para uma pressa elevada de obter tudo e no fim não temos a nossa relação estável provocada por uma correria alucinante das nossas vidas é tal que dificilmente olhamos para a pessoa que está ao nosso lado e que fizemos supostas juras de Amor que desperdiçamos uma das coisas mais belas da vida o Amor.

Na amizade quanto tempo temos para os nossos amigos ou no extremo para as relações familiares? Muitas vezes damos migalhas de tempo ou um certo desprezo no caso dos mais carenciados de tempo ou os mais idosos. Quem tem tempo para ir ver a tia idosa ou o pai e a mãe? Qual o reencontro geracional entre pais e filhos, avós e netos que tanta sabedoria poderia ser trocada entre gerações, para além do apoio que seria benéfico entre familiares… Depois quantas vezes nos lembramos dos nossos amigos ou das pessoas que dizemos que são nossas amigas? Quanto tempo lhe damos?

No fim e para conclusão quanto tempo verdadeiramente está dedicado a cuidar da nossa saúde mental num país e num mundo tão poluído com lixo dos meus de comunicação…

O Amor Wabi Sabi - www.wook.pt

Comentários no Facebook