Publicado em Deixe um comentário

Arrependimento tardio

“Eu amava-te, mas fui tão burro e estúpido e tinha vergonha de o admitir. Preferi os meus amigos porque eles não gostavam de ti. Desculpa! Eu sei que é tarde mas espero que algum dia me consigas perdoar. Amo-te!”

Arrependimento

Quando ele deu por ela do que tinha perdido já era tarde! Aconteceu-me exactamente há dez anos o que me está acontecer agora. Será que foi algo que não aprendi da primeira vez? Sinceramente não acredito. Apenas encontrei outra pessoa, que pelos vistos tem de ter a aprovação da sociedade para ter uma pessoa ao seu lado. Não sei o que poderei chamar a isso! Será que os outros vão achar mais importante do que uma “suposta paixão”?

Eu por outro lado, acho que primeiro temos de estar bem com o nosso parceiro e só depois entra na sociedade.

A primeira pessoa conseguiu corrigiu o seu erro. Refez a sua vida com outra pessoa e não voltou a fazer o mesmo. Era um adolescente, na altura dos factos, e sinceramente tinha desculpa porque ainda era um garoto e tinha muito que aprender sobre a vida.

Já a segunda pessoa é um homem adulto que não sabe o que é uma relação afectiva. Talvez não tenha ouvido as pessoas com mais experiência. Já lá diz o ditado “quem fala menos e ouve mais aprende melhor”.

Um homem adulto já mais descartaria uma coisa tão difícil de achar só porque começou a conhecer os defeitos da outra pessoa. Quem realmente ama, por mais que se afaste durante um tempo para pensar e colocar as ideias no lugar, volta.

Só que essa volta poderá acontecer tarde demais como na primeira situação. As pessoas só dão valor quando perdem e no caso dos homens apercebem-se, na maioria das vezes, já bastante tarde. Só espero que para ti não seja tarde demais!