Publicado em 8 comentários

Não existem amores perfeitos

A verdade é que tudo que é bom acaba depressa, a verdade é que tudo que a gente quis, é sempre o que mais desespera, mas no fundo tudo tem um grande fim e ninguém é perfeitamente perfeito para  mim. Eu não sou perfeita, tenho os meus medos os meus anseios, e limito -me a dizer a todos que não existem amores perfeitos.

Se procura um amor realmente perfeito, esqueça esse amor não existe , nada é esmerado, nada é apurado, puro ou genuíno. Se alguém pensa que o amor é como as histórias de embalar, em que a cada passo que dá é simplesmente só amar! Engano o seu o amor é o despertar, sim é permanecer, mas, também é doer é saber perder é ir em frente sem estremecer e guiar-se até ao caminho do amadurecer. Porque nada nada é perfeito , nada é primoroso, se alguém conhecer o seu amor realmente perfeito, que  diga, eu terei todo o gosto de  conhecer!

Nada, nem ninguém é angelical, não é que faça o mal, mas não existe alguém tão genial, alguém  que seja correto, exacto, justo e integro,  não conheço! Podem até ser correctos numas situações, justos  noutras, integrais em alturas, honestos em opiniões, hábeis em momentos, mas, no fundo existirá sempre o imperfeito, o incorrecto, o falhado o frio, o incompleto e o defeituoso por dentro. Isto porque ninguém é perfeito em cada momento. Como não existe perfeição, o amor também não, e cabe a nós decidir e traçar o nosso próprio caminho que queremos dar.

Amores existem muitos, mas sempre existirão os amores omissos, malfeitos,  os frustrados, os indigesto, os inacabados, os incompletos,  os parciais, os aguados, os sujos os defectíveis e  os desprimordioso amores. Tudo isto, porque somos diferentes, inúmeros, dispares, discrepantes e contrários. Acabamos sempre por fazer, não o que o outro quer, mas o que nós queremos e a lutar um por todos, como a ambicionar o que melhor existe em nós.

Somos e sempre seremos diversos.  Os amores são dispersos, heterogéneos, quando estamos bem, muito mais rápido estamos mal e quando estamos mal rápido estamos bem. Somos seres humanos não todos iguais, vivemos a vida que temos de viver, perdemos o nosso amor e daqueles que nos ama, fazemos acreditar todos os dias num começo de um novo fim e morremos a saber o que nunca tivemos que aprender nesta vida.

“Amor não é se envolver com a pessoa perfeita, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.”

Desconhecido

Publicado em 4 comentários

Melhores pessoas maiores defeitos

Mais defeitos

No meu ponto de vista, eu acredito que são as melhores pessoas que têm os maiores defeitos, pois eu tenho e muitos, mas são eles que me fazem viver a vida, que desde sempre luto e ser quem eu sou hoje. Muitos até podem não gostar, eu posso até atrapalhar, mas esta serei sempre eu e nada mais irá mudar.

Sou uma pessoa por vezes rude, insensível, insegura, autoritária, mas também sou oito ou oitenta, porque água morna já chega para fazer o chá. Sou mulher e vivo de escolhas não de chances, optei por ser motivada e não manipulada, por ser pessoa útil e não uma pessoa ousada, por sobressair e não competir, escolhi o amor próprio e não a autoridade, e escolhi, ouvir a minha própria opinião e não a opinião dos outros. Tenho sempre os meus limites. Sei quando estou certa, mas também sei quando estou errada. Sou e confesso que sou, uma boa pessoa, mas no fundo, sou a pessoa mais burocrática e sensata que todos conhecem.

Penso e acho que foi por meus defeitos que hoje consigo lutar, que consigo verdadeiramente amar e consigo ser e mais concretizar. Para mim pessoas sem defeitos, são pessoas com grande receio, sempre apontadas com um dedo, sempre com medo, pessoas que nasceram com um grande tormento, ou mesmo, que nasceram já com duas máscaras no seu leito.
Eu não tenho medo de mostrar meus sentimentos de fazer coisas imprudentes, e sabe eu acredito que o sentido da vida existente, é sempre para a frente. Quanto ao tempo, o tempo tem uma forma fantástica de mostrar realmente o que importa.

Por vezes sou maluca, confusa, pirada, mas sabe eu acredito que as melhores pessoas são assim! Isto porque eu sou assim, mas quer saber? Tenho é de gostar de mim, foi a vida que nos fez assim, temos de saber a enfrentar, temos de saber lutar, temos de ser quem sempre somos, e muitas vezes quem não somos, porque a vida trás muitas pedras pelo caminho e nós teremos de as chutar para longe, teremos de ser maiores que elas mesmas, e teremos de saber sempre as ultrapassar por obstáculos que aparecem na nossa frente.

Ultrapassar a dor, ultrapassar o sofrimento, ultrapassar a desilusão, ninguém está a salvo desta oração, ninguém sabe o futuro e ninguém acredita no mundo.  Mas sabe, eu acredito, eu acredito que a natureza nos deu uma missão, e por mais que a gente lute, tudo terá um destino, tudo será um caminho, que por mais pedras neles viram, eu não adivinho como será daqui para a frente.

Todos temos defeitos é certo, mas será que não são os defeitos que fazem de nós melhores pessoas? Todos nós somos diferentes, ninguém é mais que ninguém e ninguém é menos que ninguém. Todos temos rumos diferentes, todos vemos a vida de uma maneira corrente e divergente, mas nada, nada nem ninguém mudara a gente, porque nós já nascemos assim.

“Pior pessoa é aquela que não apresenta defeitos. Essa é a pior de todas … a mais falsa de todas… quantas mascaras põe esta pessoa à frente de si mesma ??!”

Marco Aurélio Masini de Sousa

Publicado em 2 comentários

Amei-te quando era adolescente amo-te no presente

Meu amor não tenho palavras para descrever o que vivemos desde quando fomos dois adolescentes. Vivemos momentos inseparáveis, momentos que nunca esquecerei e momentos que ainda acreditarei. Adolescentes fomos nós, sem qualquer senso e sem qualquer cumprimento, vivemos sempre o momento com  vontade, na gratidão e tive sempre a ti para me dares sempre a tua aptidão.

Seguimos como uns miúdos que viveram do perdão e não fazíamos a mínima ideia do que era a vida sem qualquer união. Apenas eramos dois jovens que andávamos a descobrir o amor, nem sabíamos realmente o que era a dor, a dor de amor.
Tudo o que mais queríamos era sim, viver a vida no paraíso, sem qualquer preconceito, sem qualquer defeito, e sem qualquer compromisso.

Neste momento, vivemos o presente mais  do que simplesmente, achamos que este querer e desejo é cada vez mais ardente, mas nada é igual ao que era antigamente.
Perduramos por cada instante em cada segundo, cada ano e cada minuto, a lembrar o passado que ficou para trás e a fazer cada vez mais para a nossa relação sempre conservar. Nada é mais bonito que ver os anos a passar!
Mas nem tudo são rosas, nesta vida temos as nossas lutas, as nossas discussões e as nossas angústias. Somos nada mais,
nada menos, que dois vínculos que acreditam que o amor vale a pena durar.

Amo-te no presente e quando era adolescente, amo-te quente e frio, apaixonei-me hoje e sempre por alguém que altamente divergente, mas, que sabe além de ser bastante diferente, amar, beijar e proporcionar algo bastante coerente. É difícil dizer não, para alguém que tanto conhecemos e muito mais difícil é deixar alguém magoado alguém que já tinha sido nada mais que nosso passado.

Se este amor vai durar, eu não sei, só sei que o que interessa realmente é o presente, algo que agora sinto adurente, algo que me dê mais prazer, encante e me alimente.
A verdade, é que o passado já passou, interessa agora é mesmo tudo que é vigente, o amor que é vivido, apetecido e nada mais que aprazido, claro e expressivo.
A verdade, é que eu amei-te quando era adolescente, amo -te no presente.

 

 

 

Publicado em 5 comentários

Eu sou do mês de Fevereiro

Para todos aqueles que são como eu, que nasceram no mês de fevereiro e que mostram ter não mais que uma personalidade simplesmente simpática e humana, este texto é para vocês.
Somos pessoas honestas e leais, originais e brilhantes, somos o que vemos e o que sentimos, somos tudo que são distantes e tudo que nos chama pela liberdade constante. Vimos aqui para enfrentar o mundo, não compreendemos quando ele nos virará as costas e não somos capazes de aceitar uma traição muito menos inesperada.
Gostamos sempre de lutar, lutar pela humanidade e pelas boas causas, fazer e planear sempre um futuro melhor é sempre um dos nossos objectivos. Abrimos portas sempre para a novidade e para o que é a criatividade, somos seres raros e maravilhosos, aprendemos com o presente e reivindicamos sempre o futuro.
Para nós que nascemos em fevereiro, não gostamos de promessas vazias nem muito menos de nos sentirmos sós. Temos uma personalidade fora do comum seja ela forte, atraente e sincera no que mostramos para cada um. Acreditamos que algumas vezes somos tímidos e sensíveis como bastantes pacientes, mas sempre seres sentimentais, realistas e originais. Procuramos a verdade e aprender com os outros, somos verdadeiramente claros e lógicos no que realmente queremos, mas às vezes, bastantes radicais no que verdadeiramente sentimos, vivemos desilusões emocionais, o que nos leva a exigir demais sempre do nosso companheirismo.
Somos aquilo que muitos queriam ser, independentes e livres. Para nós interessam-nos mais as ideias que propriamente os factos como gostamos muito mais de fazer projetos que propriamente realiza-los.
A independência faz igualmente falta como o próprio ar que respiramos e não conseguimos estar muito presos, temos de voar, conhecer e aprofundar. Adoramos sonhar e projetar. A novidade é sempre um sonho, somos bastante tímidos, mas depois de termos o à vontade adoramos brilhar adoramos mostrar e principalmente ganhar.
Contudo, eu adoro ter nascido no mês de fevereiro, formado por vinte e nove dias, tenho uma personalidade forte, gosto de tudo que é criativo, de artes e da tecnologia, escrevo porque me faz bem, me liberto, vivo do imaginário e do que é imenso, e prefiro sempre seguir os meus gostos incomuns, tendo determinado apreço a verdades cientificas e universais, como tendo muitas vezes a acreditar no que não é verdadeiramente real e no impossível.
Fonte:http://www.euroresidentes.com/
 
 
 
 

Publicado em 1 comentário

Talvez eu precise de acreditar!

Talvez eu precise de acreditar! Não sei sentir algo ou alguém em silêncio, muito menos sei estar calada por algo que me desagrada. Eu tenho sentimentos e tento transmiti-los na escrita ou mesmo na música. A vida trouxe-me tanta alegria, confiança, mas, também trouxe-me a tristeza. Talvez tenha perdido o ser que sou em certas situações, ou talvez, tenha encontrado realmente quem eu sou, talvez.

A vida é feita toda ela de “talvez” talvez poderei fazer mais um dia, talvez não lutei o suficiente, talvez fiz o que estava certo ou errado, talvez…Alcancei a confiança de quem gosto, resolvi problemas sem ninguém, tentei sempre manter a firmeza e a amizade de quem eu gosto e a coragem de não fechar os braços para quem sempre soube abri-los.

Hoje, guardo melhor um sorriso, acredito que a tristeza será mais pequena e Deus talvez falará mais ao meu ouvido, sempre na esperança de poder acreditar e lutar. Lutar para algemar a dor, lutar para me controlar a cor, e lutar até ganhar fervor e até poder alinhar os sentimentos com amor, acreditar, acreditar que tudo ficará bem, que existe sempre um caminho a chegar, e que um novo mundo irei alcançar, e uma nova vida irei fazer até quando o inverno das minhas emoções voltar novamente a aparecer.

Não duvido nada do valor da vida, do prazer dela e de tudo que a faz crescer, mas duvido de tudo que ela me faz comprometer, de tudo que vem, volta e volta a desaparece, o do que me faz controlar. Tenho certas duvidas sobre a miséria, da intolerância, do egoísmo das pessoas e de tudo que não me deixa acreditar.

Se dou valor a vida? Talvez, talvez um dia eu acredite e entenda porque passamos por tudo isto, e talvez muito mais, a perceba, o quanto temos de passar por esta, para poder acreditar, acreditar, no que vale a pena lutar no que nos faz perder o controle com frequência e no que poderíamos ganhar, por medo de simplesmente não arriscar.

Mas, nada como o tempo para nos mostrar verdadeiramente, isso e perceber que precisamos dele para sonhar, descobrir os nossos sonhos, abrir novas portas, a gostar de mim, a sonhar com alguém,  a fortalecer o nosso jardim, cuidando sempre das nossas flores, e talvez, a acreditar que um dia tudo que preciso e mais quero irá por fim acontecer.

“Considero o mundo por aquilo que ele é, Graciano: / Um palco em que cada um deve recitar um papel, / e o meu é um papel triste”.
William Shakespeare

Publicado em Deixe um comentário

Serei sempre eu com uma chávena de café!

Por vezes forte, meiga e por outras vezes ácida, fria e deprimida esta serei sempre eu.
Nem sempre igual ao que escrevo e ao que exprimo, há dias que não me apetece revelar quem realmente sou e há dias que revelo realmente quem eu sou.
Mas quem olhar bem, repara que eu me apaixonei pelo sol vibrante de tanto calor e pela rapariga que apesar de tudo ama ser quem é.
Esta serei sempre eu com uma chávena de café para aquecer nos dias mais frios e acordar-me nos dias mais tenebrosos.  Sou uma pessoa ardente, árdua que mostra os pés bem assentes na terra, que ama ser como é, que vive  sempre, que diz muitas vezes que é feliz mas muitas vezes que nada melhorou e a chávena derramou.

Em momentos, pergunto-me porque a vida é tão ingrata,  tão mal merecida e necessito saber realmente quando esta etapa chegará ao fim. Assim, perdemos a alegria, o sentido da vida e insistimos permanecer nela até tudo voltar ao que era antes.  A vida é mesmo assim, ninguém pode prever ao mesmo tempo o presente e o passado, muito menos o futuro, quando tentarmos entender as coisas que acontecem connosco, sentimo-nos culpados, sem rumo e com uma grande angústia  porque a nossa alegria desapareceu.

As coisas passam, e o que podemos realmente fazer é deixar ir é bom realmente mudar, mudar para melhor e isso eu tento fazê-lo todos os dias. Tudo que existe neste mundo visível é uma manifestação de um mundo invisível e tudo que está num mundo invisível reaparece. Ninguém advinha a sorte muito menos sabe o seu azar, portanto é certo que às vezes ganhamos outras vezes perdemos. Existimos porque a vida assim o é e somos seres obrigados a viver do que o destino previu.

Esperando muito de mim, muito mais do que eu posso imaginar, é por essa razão que eu muitas vezes tento fugir. Eu sou apenas uma rapariga normal como tantas outras, que olha para si mesma e percebe que muitas das vezes o coração gelou. Olho para mim  e reparo que a minha pele é bem seca, os meus olhos penetrantes, a minha boca húmida e as minhas mãos geladas, mostram coragem, sonho e união.

Esta serei sempre eu com uma chávena de café, para o bem e para o mal, luto por aquilo que sou, desistir, nunca, irei atrás do meus grandes objectivos e o que a vida assim me reservou cheia de desafios. Esta serei sempre eu, o suficiente para encarar a mim mesma, fazendo-me de forte e trazendo a paz e a felicidade que sempre desejei.
Só quero que aceitem como eu sou, porque não tenho garantias de nada, nem tenho a defesa de ser alguém perfeito, eu também erro e errar faz parte da natureza humana, eu também falho, porque falhar faz parte do carácter da pessoa. Meu conhecimento é incompleto e procuro a todo o tempo ser uma aprendiz, porque sou eu, só eu, e tenho um longo caminho a percorrer, assim como todos nós, porque eu sou sempre eu e não existe mais ninguém igual a mim.

“Apesar de tudo, eu sou apenas eu.” 
Camille Labanca



Visualizar perfil de Ana Margarida Costa no LinkedIn Visualizar perfil de Ana Margarida Costa
Follow my blog with Bloglovin