Publicado em Deixe um comentário

A revolta – o que posso eu fazer?

Hoje vou partilhar convosco um grito de revolta, em memória dos incêndios que assombraram Portugal em 2017, e a Grécia em 2018, assim como muitos outros incêndios por todo o mundo! Quem partilha desta minha revolta?

 

O que se está a passar neste planeta TERRA?

Planeta este que é tão meu, como teu, e de todos nós, plantas e animais, seres vivos e inanimados

Quanta desgraça nos assombra,

Quanta tristeza nos invade,

Quanta revolta nos atormenta,

Quanto amor nos falta!

 

E esta impotência de nada poder fazer,

Ver o mundo a enlouquecer,

E ficar sentado a assistir,

Tudo aquilo que nos rodeia a denegrir.

 

Não posso mudar o mundo! Não posso mudar o ser humano!

E quem pode, quem tem alguma influência, nada faz!

Viver meses e meses a assistir a todos os incêndios

Pessoas morreram, florestas desapareceram, casas arderam

Ligo a televisão e só vejo desgraça no mundo!

 

Quando é que o dinheiro vai deixar de ser o centro de tudo?

As pessoas são capazes de tudo pelo doce sabor do dinheiro!

Já chega!

O dinheiro não foi feito para ser amado!

 

O que falta neste planeta é amor!

E pessoas capazes de amar.

Gente que saiba respeitar a liberdade dos outros

Gente que faça a diferença pela positiva

Gente desprendida de ganância e preconceito

 

Tanta maldade no mundo! Tanta desgraça!

Quando e onde vai isto acabar?

O que irá acontecer ao nosso refúgio, o planeta terra?

Fomos tão afortunados com esta dádiva que é a VIDA

A beleza e a perfeição da natureza.

 

Porque teimamos em destruir o nosso LAR?

Porque não aprendemos com os erros do passado???

 

“Aqueles que não conseguem lembrar o passado estão condenados a repeti-lo”- George Santayana

Publicado em 2 comentários

O sentido da vida

Sentido para a vida

Eu procuro um sentido para vida e acabo por perceber que a vida não faz sentido é muito melhor sentir do que entender, que é muito melhor viver do que ver a vida a passar.

Então, no meu diálogo comigo mesma acabo por entender que não preciso de sentido para viver, que vivo mesmo sem querer, e que mesmo sem querer, descubro o quanto é bom viver.

Não falo apenas de viver por viver, nem quero estar apenas a respirar. Quero sentir o meu coração bater, e cheirar o perfume das flores.

Quero também que o meu coração bata de emoção e de adrenalina. Não preciso de respostas, nem de explicações, nem de fórmulas e nem de conselhos, apenas preciso de determinação e o resto descubro eu por mim.

Eu não necessito de dinheiro, nem de fama, nem de elogios, porque sei o que sou e isso basta.

Eu não preciso de um dia de sol, eu divirto-me com a chuva. Não quero saber de tudo porque o que me dá forças para isso tudo é a incerteza e, consequentemente a busca por essas respostas.

Não tenciono fazer planos ou traçar metas, porque nunca conseguiria entender o que realmente quero.

Não preciso de modelos, de inspirações e nem pretendo ser igual a ninguém, quero apenas ser eu mesma, viver meus sonhos, cometer meus erros e celebrar as minhas vitórias. Eu não preciso de falsidade nem de hipocrisia, quero somente a verdade pois desprezo a mentira.

Eu não necessito de muito para ser feliz, pois consegui encontrar a felicidade nas coisas mais simples, e consigo ter paz só de ver o teu e o sorriso dos outros.

Não quero mais encontrar um sentido para vida e não quero mais tentar entender o inexplicável. Não preciso mais disso, pois já encontrei mais de mil motivos para viver!