Publicado em Deixe um comentário

A história de alguėm

Esta é a história de alguém que nunca conheci. Não, pelo menos de verdade! Como pode uma pessoa que mal conhecemos deixar tantas marcas na nossa vida?

Marcas essas que jamais serão esquecidas, ou pelo menos apagadas da memória.

O tempo, esse, dizem que cura tudo mas a realidade é que ele nada apaga e o tempo que passámos á espera que ele passe, pode ser fatal!

A esperança deve por isso, ser substituída pela realidade dos factos. Só que, como é tão doloroso viver nesta acabamos por sonhar demasiado alto quando estamos lá no fundo.

O tempo voa e nem damos por isso. Apenas nos apercebemos que este passou quando vimos as crianças pequeninas a tornarem-se homens e mulheres e, quando olhamos para trás vimos as expressões do rosto marcadas pelas experiencias vivenciadas ou pelo passar dos anos…

Isto foi o que me aconteceu! Tarde, percebi que tinha perdido parte da minha vida por ter dado demasiada importância a coisas que não tinham razão de ser.

Já se passaram muitos anos desde este marco na minha vida. Fiquei sempre na esperança de um passado sem volta e quando me dei conta, o passado tinha passado à história. Quando me ergui do fundo do poço vi que tudo à minha volta tinha mudado e estava tudo bem diferente.

Toda essa gente que eu conheci tinha seguido a sua vida. Cada um com o seu próprio caminho que, por sinal, bem diferentes dos que tinham idealizado.

Alguns deles confirmou-se o destino que lhes havida calhado mas a maioria perdeu-se. Os que se perderam entraram pelos chamados “maus caminhos”, tais como as drogas pesadas.

Tive também a oportunidade de conhecer muitas dessas pessoas. A maioria delas consumia para esquecer os seus problemas familiares.

Outros por más influências ou mesmo por estupidez mas esses eram a minoria.

 Aprendi que as drogas são apenas uma forma de tentar aliviar uma dor que nos é quase impossível de suportar e deixei de ter aqueles preconceitos comuns em relação ao assunto. Até porque sei o que é ter uma dor semelhante…

Publicado em 7 comentários

Vontade de amar quem me ama

não sei amar

Que vontade de amar!

Aconteceu outra vez!

De uma forma tão inesperada

Agora não consigo dormir

Como é possível que me deixes deste jeito?

 

Os nossos destinos cruzaram-se inesperadamente nessa noite.

Dois meses se tinham passado desde aquela fantástica tarde que mudou a minha vida para sempre! Desde então, pensava em ti todos os dias, tentando entender o que se havia passado.

Terias sentido o mesmo?

Como poderia saber se nunca mais falamos?

Recordei vezes sem conta os momentos que passamos juntos. Tentei perceber se alguma vez me tinhas dado um sinal de que poderias ter algum interesse em mim.

Por incrível que pareça, recordei vários momentos e palavras que trocamos, fiquei ainda mais confusa!

Como não reparei nisto antes?

Algo me diz que gostas de estar comigo! Mas então porque desapareceste?

O que significaria isto afinal?

Durante estes meses convenci-me de que estava errada e tentei esquecer-te.

Mas eis que o destino nos juntou novamente. Nessa noite acenei-te e sorri, tentando ignorar todo e qualquer sentimento que me inquietava, e tu retribuíste timidamente.

Ofereceste-me boleia para casa, e eu quase que recusei. Quase… Uma parte de mim queria muito estar contigo e a outra, talvez a mais sensata, dizia-me que eu não morava assim tão longe por isso podia ir a pé, não havia necessidade de estar tão perto de ti outra vez.

Como é óbvio, dei mais ouvidos ao louco do meu coração e ignorei a minha sensatez.

Tenho de admitir que valeu a pena!

Desbloqueaste aquele silêncio, perguntando-me como tinha corrido o meu dia, e num instante começamos a falar das coisas aleatórias que preenchiam os nossos dias, sem nunca mencionar o que se havia passado.

Como poderia saber se não seria uma fantasia da minha imaginação? Porque não abordavas este assunto?

Assim que chegamos a minha casa, a conversa estava tão animada que optaste por desligar o motor do carro. O meu coração sorriu!

Três horas mais tarde olhaste para o relógio e admirado comentaste: “Já são estas horas? Parece que só estamos aqui há meia hora!”. Senti-me tão bem! E por momentos temi que quisesses ir embora. Mas não foste!

É tão difícil expressar a minha vontade de estar perto de ti e de não te deixar ir embora. Uma vontade enorme de te tocar, de te abraçar, de te sentir perto de mim… mas não sei como poderás reagir.

Em que estarás a pensar?

Não me importo que nada aconteça, mas por favor não te vás embora!

Eram já cinco da manhã quando finalmente decidimos que seria melhor irmos dormir. Teríamos de trabalhar no dia seguinte.

Eu não queria nada que fosses… não queria deixar de sentir… será que se voltaria a repetir?

No momento da despedida, eu tremia de tal forma que não conseguia saber o que dizer, o que fazer

Não consegui… tal era o medo que algo pudesse estragar aquele momento mágico que optei por sair à pressa sem sequer me despedir.

Mas que asneira foi esta? O que queria eu afinal?

Não seria aquele um sinal de que pudéssemos estar em sintonia?

 

Que vazio é este que estás a preencher no meu coração?

 

vontade-de-amar

 

 

Publicado em 7 comentários

Eu cresci Bolas!

Não sou nenhuma menina agora sou mulher.

Acordem,  acordem para a vida seja lá quem for, pois eu já não sou uma menina agora sou uma mulher.
Mulher sim , porque eu cresci, não me tratem como se fosse uma criança de cinco anos  não o sou. Tratem-me  como uma mulher pura e dura que se tornou.
É difícil algumas pessoas acreditarem que eu já não sou quem eu era antes, muito mais difícil É saber que quem muito espanta muito desespera.

Eu sou assim e ninguém me vai conseguir mudar, já não sou aquela que tu um dia quiseste mimar.

Não é a vocês que tenho de suportar, felizmente já não mandão na minha vida,  cresci e amadureci e sei o quanto difícil é para alguém acreditar nisso.

Se não acreditam, também não faço questão nenhuma de vos surpreender, se estão surpreendidas então irão compreender.

Eu tenho a dura certeza  que um dia ou mais tarde vou fazer-vos ver que crescer é essa imagem que terão de mim e já mais iram se esquecer.

Quando  tenho de lutar luto, só se tenho de amadurecer é para comigo mesma,   mesmo assim temos de aprender. Se sabes realmente quem eu sou então não julgues.

A vida mostra-me caminhos, o tempo cada vez mostra quem realmente somos. Eu cresci, aprendi, mudei.

Hoje sou outra mulher aprendi a lutar depois de tanto chorar. Aprendi a amar pessoas, a ver o teu sorriso, mas muito mais a valorizar o meu.

Cresci Menina

Amadureci nas experiências da vida, cresci nas atitudes.  Decepcionei nas expectativas e continuo a ser como sou e diferente como tu podes ver e crer.

Fui muito ingénua ao ponto de acreditar em tudo que me diziam. Completamente uma miúda muito mimada que só via a felicidade ao longo da sua estrada.

Quase não precisava de nada para ser recordada e para ser bem reservada.

“Cresci admirando a lua, sem intenção de aproximar. Um mero espectador, ouvinte do vento, passageiro do tempo, contemplador do mar”.

Sergio Fajardo

Publicado em 3 comentários

Sempre como dois adolescentes

Adolescentes

Desde que te vi pela primeira vez achei que era para sempre, adolescentes, mas agora der-repente observo que nada é para sempre. Quando eu te vi pela primeira vez, não pensei imediatamente “vou amar este rapaz para todo o sempre”, mas agora que tudo passa e existe cada vez mais gente será que gosto de ti sempre?

Foi o fato de te ouvir, o fato de seres diferente que meia doente fiz-me ao presente. Não perdi tempo contigo e foi ardente .  Os teus movimentos, os teus lábios pareciam uma dança que eu já tinha aprendido antes e me tinha esquecido consequentemente.

Ao fim de alguns dias ou umas horas, tudo em ti me era familiar e era como se já te conhecesse desde sempre. E a apatia deu lugar ao entusiasmo. Lembro -me de ter olhado para as tuas mãos e ter achado que eras um homem mais quente. Aquele que me levava para lugares que só se via com sol poente.

Queria que esses dias não acabassem nunca . Que o sol decidisse tirar férias e as palavras nunca se esgotassem com o cansaço e o sono. Que nada nem ninguém estragasse o meu tesouro. Mas nada é como digo ou ouro, nada é como aquele dia que podias mudar a minha vida e declarar que  apesar de ter tentado não pensar que te podia amar para toda uma vida merecida, e por mais que eu tenha movido montanhas, silenciado tambores e desviado marés… a verdade é que não consigo evitar apaixonar-me por ti para sempre como sempre fomos dois adolescentes.

Publicado em 3 comentários

Esperança de que um dia voltará!

outrora

Aquilo que outrora foi e agora já não é
Fosse sempre aquilo com que sonhei
Aquilo que vivi e senti
Foram apenas desvaneios do meu ser
Pudesse eu alguma vez saber
O que o futuro me iria trazer
Soubesse eu um dia
O que agora deixei de viver
Fosse outrora esse sentimento
Sim, esse, aquele que trazia dentro de mim
Que mói cá dentro,
Que corrói sem deixar vestígios.
Tudo foi, tudo passou, nada ficou
Para onde foi?
Será que um dia voltará?
Eu choro, desespero, desvaneio
Anseio, desejo, ambiciono
Imagino, idealizo, visiono
Algo… talvez isso!
Aquilo que outrora foi e agora já não é
O ser que cá viveu e que talvez pereceu
Para onde foi?
Aonde o encontro?
Tanta falta me faz…
Esperança de que um dia voltará!

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Publicado em 5 comentários

Insurgência em mim

Tão urgente que não consigo acompanhar
Tão desordenado incapaz de me orientar
Tão descontrolado que abafo o meu querer
Tão vagarosamente que me sinto a perder

Há sempre outras coisas para fazer,
outras pessoas para ver,
e outros lugares para conhecer,
Há sempre outra vida para viver.

É imensa a vontade de partir
O desespero deixar de sentir
A angustia não saber se ficar
Inquietação do que há para amar

O tempo urge e nada a acontecer
Esta ânsia de algo que quer reviver
No fim só o desejo renascer.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Publicado em 8 comentários

Não existem amores perfeitos

A verdade é que tudo que é bom acaba depressa, a verdade é que tudo que a gente quis, é sempre o que mais desespera, mas no fundo tudo tem um grande fim e ninguém é perfeitamente perfeito para  mim. Eu não sou perfeita, tenho os meus medos os meus anseios, e limito -me a dizer a todos que não existem amores perfeitos.

Se procura um amor realmente perfeito, esqueça esse amor não existe , nada é esmerado, nada é apurado, puro ou genuíno. Se alguém pensa que o amor é como as histórias de embalar, em que a cada passo que dá é simplesmente só amar! Engano o seu o amor é o despertar, sim é permanecer, mas, também é doer é saber perder é ir em frente sem estremecer e guiar-se até ao caminho do amadurecer. Porque nada nada é perfeito , nada é primoroso, se alguém conhecer o seu amor realmente perfeito, que  diga, eu terei todo o gosto de  conhecer!

Nada, nem ninguém é angelical, não é que faça o mal, mas não existe alguém tão genial, alguém  que seja correto, exacto, justo e integro,  não conheço! Podem até ser correctos numas situações, justos  noutras, integrais em alturas, honestos em opiniões, hábeis em momentos, mas, no fundo existirá sempre o imperfeito, o incorrecto, o falhado o frio, o incompleto e o defeituoso por dentro. Isto porque ninguém é perfeito em cada momento. Como não existe perfeição, o amor também não, e cabe a nós decidir e traçar o nosso próprio caminho que queremos dar.

Amores existem muitos, mas sempre existirão os amores omissos, malfeitos,  os frustrados, os indigesto, os inacabados, os incompletos,  os parciais, os aguados, os sujos os defectíveis e  os desprimordioso amores. Tudo isto, porque somos diferentes, inúmeros, dispares, discrepantes e contrários. Acabamos sempre por fazer, não o que o outro quer, mas o que nós queremos e a lutar um por todos, como a ambicionar o que melhor existe em nós.

Somos e sempre seremos diversos.  Os amores são dispersos, heterogéneos, quando estamos bem, muito mais rápido estamos mal e quando estamos mal rápido estamos bem. Somos seres humanos não todos iguais, vivemos a vida que temos de viver, perdemos o nosso amor e daqueles que nos ama, fazemos acreditar todos os dias num começo de um novo fim e morremos a saber o que nunca tivemos que aprender nesta vida.

“Amor não é se envolver com a pessoa perfeita, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.”

Desconhecido

Publicado em 2 comentários

Amei-te quando era adolescente amo-te no presente

Meu amor não tenho palavras para descrever o que vivemos desde quando fomos dois adolescentes. Vivemos momentos inseparáveis, momentos que nunca esquecerei e momentos que ainda acreditarei. Adolescentes fomos nós, sem qualquer senso e sem qualquer cumprimento, vivemos sempre o momento com  vontade, na gratidão e tive sempre a ti para me dares sempre a tua aptidão.

Seguimos como uns miúdos que viveram do perdão e não fazíamos a mínima ideia do que era a vida sem qualquer união. Apenas eramos dois jovens que andávamos a descobrir o amor, nem sabíamos realmente o que era a dor, a dor de amor.
Tudo o que mais queríamos era sim, viver a vida no paraíso, sem qualquer preconceito, sem qualquer defeito, e sem qualquer compromisso.

Neste momento, vivemos o presente mais  do que simplesmente, achamos que este querer e desejo é cada vez mais ardente, mas nada é igual ao que era antigamente.
Perduramos por cada instante em cada segundo, cada ano e cada minuto, a lembrar o passado que ficou para trás e a fazer cada vez mais para a nossa relação sempre conservar. Nada é mais bonito que ver os anos a passar!
Mas nem tudo são rosas, nesta vida temos as nossas lutas, as nossas discussões e as nossas angústias. Somos nada mais,
nada menos, que dois vínculos que acreditam que o amor vale a pena durar.

Amo-te no presente e quando era adolescente, amo-te quente e frio, apaixonei-me hoje e sempre por alguém que altamente divergente, mas, que sabe além de ser bastante diferente, amar, beijar e proporcionar algo bastante coerente. É difícil dizer não, para alguém que tanto conhecemos e muito mais difícil é deixar alguém magoado alguém que já tinha sido nada mais que nosso passado.

Se este amor vai durar, eu não sei, só sei que o que interessa realmente é o presente, algo que agora sinto adurente, algo que me dê mais prazer, encante e me alimente.
A verdade, é que o passado já passou, interessa agora é mesmo tudo que é vigente, o amor que é vivido, apetecido e nada mais que aprazido, claro e expressivo.
A verdade, é que eu amei-te quando era adolescente, amo -te no presente.

 

 

 

Publicado em 2 comentários

Na esperança de um ano melhor

Mais um ano a chegar ao fim, finalmente uma pessoa abre os olhos, a sua mente e pensa, que objectivos irei eu seguir? Que planos irei eu ter? E que pessoa irei eu ser?
São tantos anos como tantos outros anos e o que realmente importa para as pessoas é que é novo ano, ano esse em que elas parecem felizes, trazem novidades, imaginam que irão acabar com os seus obstáculos e emergir novas oportunidades. Mas, na verdade tudo é igual, tudo não passa do destino da vida e de tudo que é casual.
Ai ano novo! Em que logo no primeiro dia do ano existe um momento, mágico único, os sentimentos se entrelaçam, os fogos de artifício se enunciam, as taças de champanhe se cruzam, os abraços calorosos se evidenciam e um novo momento e uma nova paz e amor se finalmente manifestam. Tudo parece bem, vivemos de repente pela esperança de um ano melhor e com o desejar que o ano ainda seja melhor que o anterior.
Não é estranho? Passar 365 dia à espera de um novo ano quando os meus objectivos é nada mais nada menos que os mesmos que eu lutei durante todos estes anos já passados? E 52 duas semanas na expectativa de fazer sempre melhor aguardando sempre o futuro? Para quê? Porque esperamos este tempo todo na esperança de nos acontecer algo melhor, como aquecer uma paixão ou conquistar um novo coração, ou procurar um novo emprego ou mesmo para parar de fumar? Para quê dar esperanças se eu mesma nem sei o que irá acontecer.
Ano novo é apenas mais um ano nada mais. Sempre acreditei que a “esperança é a única a morrer” e como dizem por aí “ano novo vida nova”e será isso verdade? Vamos começar um novo ciclo, uma nova história, ou será mesmo mais um ano e lutaremos sempre na esperança de um novo começo?
O que realmente e o que me mais importa é o passado que nos encerra e o futuro que começa.  Não quero me deitar no feno perfumado ou mesmo me deitar na neve deserta, quero um ano que cresça e me fortaleça e o meu passado seja a referência que me proteja, como a liberdade que me compareça.
Hoje, e o que mais importa não sou eu nem nunca serei eu a mesma de um tempo atrás, hoje sou ensinada pelo tempo e que o que ele me trás, e guardo em mim o que melhor a vida mostrará. Não desejo mais viver este novo ano em tempos mordidos, quero viver a vida e a lidar novamente com ela com as mesmas imperfeições, e quero aprender mais a ser mulher, a viver e a comunicar de uma forma mais directa o sabor da vida.
Se pudesse hoje, mudar algo seria sim o ano, com muita mais esperança e um pouco mais de realismo, mas o ano é como todos os outros, a vida é de seguir em frente, e é para quem tem esperança, quem está frequentemente ou simplesmente para quem a alimente.
Feliz Ano Novo!