Publicado em 5 comentários

A Mudança

Mudança

A mudança, somente, se dá quando damos o primeiro passo.

Toda e qualquer mudança tem de vir da consciencialização de melhorar, crescer, evoluir e ser uma nova pessoa, e isso tem obrigatoriamente de passar pelo nosso interior, pois ninguém poderá fazê-lo, para além de nós.

De nada adianta maquilhar o rosto, ter um novo estilo de roupa, um jeito diferente de andar, uma nova pose para a fotografia, se não efectuamos a mudança mais importante que é aquela que nasce dentro de nós, de forma franca e honesta e de um jeito transformador e consciente.

Muita gente, acredita que uma pincelada no visual, uma coloração diferente nos cabelos e um retoque na maquilhagem consegue transformar seus dias em beleza e atracão, em mudança radical e no nascer de uma pessoa diferente…mas esse é um grande e traiçoeiro engano! Só mudamos de verdade quando nos olharmos por dentro e descobrirmos o que nos torna mais infelizes, o que nos faz sentir no inferior, o que nos afasta do bem, o que nos corrói a alma e o que faz padecer pelos nossos erros.

Partindo dessa constatação, feita com o coração puro e consciente da necessidade de mudar, é que realmente mudamos, crescemos, iluminam-nos, tornamos-nos mais doces, mais humanos. É aí que evoluímos! Ganhamos mais maturidade e com isso aprendemos a usar as nossas experiências da vida a nosso favor, especialmente aquelas que nos deixam marcas mais negativas. As tais que causam maiores estragos  cada vez mais na nossa alma.

Em suma, o medo é assustador. Damos por nós a pensar: “e se der tudo errado de novo”? E é um pensamento legítimo. Se já erramos bastante, ao tentar de novo o receio torna-se maior. No entanto, pior ainda que não tentar uma nova mudança é continuar estagnado.

A mudança pode ser assustadora, mas são estritamente necessárias para que tudo se possa transformar!

Publicado em 8 comentários

Não mudei apenas cresci

Já fui muito ingénua ao ponto de acreditar em tudo que me diziam, já fui tudo desde que fui criança, já fui completamente uma miúda muito mimada que só via a felicidade ao longo da sua estrada e que quase não precisava de nada para ser recordada e para ser bem reservada.

Já perdoei erros imperdoáveis, já recusei pessoas insubstituíveis, e já esqueci pessoas inesquecíveis. Acreditei que a amizade era para sempre que o amor era para toda a vida e já suportei bastante más companhias. Fiz coisas que se calhar não devia e não sabia, perdoei coisas imperdoáveis e realizei de tudo o que mais havia, desde agir por impulso, até a achar que estava a ter uma grande inimiga.

tumblr_l94i4vCft01qcx9ipo1_500_large

Todavia, já magoei, já fui magoada e continuo a ser a mesma rapariga, que no fundo não mudou apenas cresceu, cresceu para a vida e para a fantasia, sou agora como uma libelinha, que significa algo de especial na minha vida como a renovação, o poder, o vento, a mudança, com a vontade de crescer, fortalecer e que vive com o pouco tempo que tem em prevalecer, simbolizando a luz as novas energias, a harmonia e a força.

Hoje é assim que me vejo como uma libelinha, com um espirito de uma criança, mas com uma maturidade de confiança. Não sou mais uma esperança eu cresci, amadureci e vivo com o poder e a força de quem aprendeu a viver, ir á luta e não esquecer de acreditar que tudo não passa de uma simples ilusão de quem soube viver pelas suas sombras na maior desilusão.

São poucas as pessoas que sabem enfrentar a vida, chega o momento de acreditar que a vida é nossa, somos nós que fazemos o nosso próprio caminho e que entendemos que não poderá haver melhor amor que ser um amor próprio. A maturidade é mesmo assim, permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade e querer cada vez mais com mais simbolismo e doçura.

Assim viver é lutar com determinação, viver com a paixão, perder a classe, ousar a ousadia, vencer os próprios obstáculos e atrever a acreditar que o mundo é para quem sabe permanecer nele e vive-lo é muito mais que ser insignificante.

“Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima”.

Kim e Alison McMillen

Publicado em 2 comentários

Amei-te quando era adolescente amo-te no presente

Meu amor não tenho palavras para descrever o que vivemos desde quando fomos dois adolescentes. Vivemos momentos inseparáveis, momentos que nunca esquecerei e momentos que ainda acreditarei. Adolescentes fomos nós, sem qualquer senso e sem qualquer cumprimento, vivemos sempre o momento com  vontade, na gratidão e tive sempre a ti para me dares sempre a tua aptidão.

Seguimos como uns miúdos que viveram do perdão e não fazíamos a mínima ideia do que era a vida sem qualquer união. Apenas eramos dois jovens que andávamos a descobrir o amor, nem sabíamos realmente o que era a dor, a dor de amor.
Tudo o que mais queríamos era sim, viver a vida no paraíso, sem qualquer preconceito, sem qualquer defeito, e sem qualquer compromisso.

Neste momento, vivemos o presente mais  do que simplesmente, achamos que este querer e desejo é cada vez mais ardente, mas nada é igual ao que era antigamente.
Perduramos por cada instante em cada segundo, cada ano e cada minuto, a lembrar o passado que ficou para trás e a fazer cada vez mais para a nossa relação sempre conservar. Nada é mais bonito que ver os anos a passar!
Mas nem tudo são rosas, nesta vida temos as nossas lutas, as nossas discussões e as nossas angústias. Somos nada mais,
nada menos, que dois vínculos que acreditam que o amor vale a pena durar.

Amo-te no presente e quando era adolescente, amo-te quente e frio, apaixonei-me hoje e sempre por alguém que altamente divergente, mas, que sabe além de ser bastante diferente, amar, beijar e proporcionar algo bastante coerente. É difícil dizer não, para alguém que tanto conhecemos e muito mais difícil é deixar alguém magoado alguém que já tinha sido nada mais que nosso passado.

Se este amor vai durar, eu não sei, só sei que o que interessa realmente é o presente, algo que agora sinto adurente, algo que me dê mais prazer, encante e me alimente.
A verdade, é que o passado já passou, interessa agora é mesmo tudo que é vigente, o amor que é vivido, apetecido e nada mais que aprazido, claro e expressivo.
A verdade, é que eu amei-te quando era adolescente, amo -te no presente.

 

 

 

Publicado em 2 comentários

Sou mulher perfeita não linda

A mulher quer-se interessante, perfeita não propriamente linda. A mulher perfeita é aquela mulher com personalidade e maturidade é aquela que todos procuram, todos se inquietam e é aquela que faz um homem perceber que ela não é simplesmente uma mulher bela, mas ,uma mulher que mexe com os sentimentos de alguém.  Todas nós devemos ser assim únicas, inteligentes, não usadas e ter princípios meios e fins.
A beleza é apenas o seu reflexo no seu conteúdo e é nisso que um homem realmente olha numa mulher, a mulher que não o deixa respirar, aquela que se deixa amar e aquela que tem ainda muito para dar, considera-se a mulher perfeita. A mulher perfeita sabe o seu lugar, sabe deixar saudade, a sua presença é bem notada não pelo o seu corpo, mas pela sua naturalidade, está presente em todos os momentos como sabe bem o que quer, como quer e o que merece ter.
A beleza pode simplesmente desaparecer, esta não dura para sempre chegando até a acabar. Quando a mulher é inteligente, misteriosa e poderosa a beleza é nada mais, que apenas mais uma qualidade.
Por isso eu digo que sou mulher perfeita não bonita, sou aquela mulher simples não vistosa, segura de si e dos seus princípios, sem medo de errar e muito menos de assumir os seus erros,sou mulher que tem objetivos, mulher atraente, espontânea que acredita na vida, nos seus limites e que luta todos os dias para ser feliz.