Publicado em Deixe um comentário

Arrependimento tardio

“Eu amava-te, mas fui tão burro e estúpido e tinha vergonha de o admitir. Preferi os meus amigos porque eles não gostavam de ti. Desculpa! Eu sei que é tarde mas espero que algum dia me consigas perdoar. Amo-te!”

Arrependimento

Quando ele deu por ela do que tinha perdido já era tarde! Aconteceu-me exactamente há dez anos o que me está acontecer agora. Será que foi algo que não aprendi da primeira vez? Sinceramente não acredito. Apenas encontrei outra pessoa, que pelos vistos tem de ter a aprovação da sociedade para ter uma pessoa ao seu lado. Não sei o que poderei chamar a isso! Será que os outros vão achar mais importante do que uma “suposta paixão”?

Eu por outro lado, acho que primeiro temos de estar bem com o nosso parceiro e só depois entra na sociedade.

A primeira pessoa conseguiu corrigiu o seu erro. Refez a sua vida com outra pessoa e não voltou a fazer o mesmo. Era um adolescente, na altura dos factos, e sinceramente tinha desculpa porque ainda era um garoto e tinha muito que aprender sobre a vida.

Já a segunda pessoa é um homem adulto que não sabe o que é uma relação afectiva. Talvez não tenha ouvido as pessoas com mais experiência. Já lá diz o ditado “quem fala menos e ouve mais aprende melhor”.

Um homem adulto já mais descartaria uma coisa tão difícil de achar só porque começou a conhecer os defeitos da outra pessoa. Quem realmente ama, por mais que se afaste durante um tempo para pensar e colocar as ideias no lugar, volta.

Só que essa volta poderá acontecer tarde demais como na primeira situação. As pessoas só dão valor quando perdem e no caso dos homens apercebem-se, na maioria das vezes, já bastante tarde. Só espero que para ti não seja tarde demais!

Publicado em 1 comentário

Momentos a escrever

Escrever

Existem momentos e ouve um tempo que eu não sabia o que escrever, mas doa a quem doer o meu povo, as minhas histórias eu não posso esquecer.
Escrever é momentâneo, grafar dá ânimo e sinto um alívio a cada espanto. Vou ser sincera convosco e vou dizer-vos que não é o meu encanto, mas é quando o stress eu não quero tanto, eu quero a minha vida benéfica e com recanto.
Redigir é diário, escrever é noticiário é descrever a nossa vida e nossos sentidos momentâneos. Não passo a vida a me dirigir, mas passo a vida a imaginar e a tratar o que quero descrever. Estes dias foi para esquecer realmente o que me faz feliz, mas voltei sem nada a perder. Voltei para fazer das palavras, frases que todos adoram conhecer.
Voltei porque quero relembrar a memória, voltei para relembrar os meus amigos e aproxima-los do que eu sempre acreditei e falei no “sentimentos &Emoções.
Ainda não sou nenhuma escritora mas quando escrevo, sinto um alívio, a minha dor desaparece, a coragem volta e acabo com a derrota. Ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, as minhas ideias, as minhas fantasias.

“Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida – umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana”.

Fernando Pessoa

 

Sinta-se nas nuvens e escreva algo que te vem á alma, algo que te escanta e algo que dê valor, imaginação e criação

Sinta-se realmente feliz!
252b07b5f1cb4864590f2baa4e317fb4